A universidade e a cultura ética dos alunos

29/05/2018

É de suma importância uma atuação preventiva junto aos universitários para ajudar a consolidar a cultura de fazer o certo pelo certo, no ambiente profissional.

 

Visando o eixo da Educação, o IES iniciou conversações com membros do setor acadêmico, para a introdução de temas de ética ligados à área de atuação de futuros profissionais de saúde e, dessa forma, aprimorar a formação de recursos humanos com a qualificação que o país precisa.

No dia 25 de maio, a professora da área de Nutrição Humana da Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), Anita Sachs Feuz, ouviu com entusiasmo a explanação do presidente do Instituto Ética Saúde, Gláucio Pegurin Libório, explicando que além do trabalho de monitoramento do compliance, feito pelo Instituto, é de suma importância uma atuação preventiva para ajudar a consolidar a cultura de fazer o certo pelo certo, no ambiente profissional.

”O estudante, quando escolhe uma profissão, não tem muita ideia dos desafios que terá pela frente, no plano ético. Hoje ele concentra sua atenção nos aspectos técnicos, científicos e nos resultados econômicos. E muitas vezes adota como modelo um professor que, apesar de alta performance técnica,  não alerta para as contradições do mercado. E  comportamentos ruins do dia a dia não são percebidos como antiéticos”, enfatiza Libório.

Também presente no encontro, o diretor Executivo do IES, Carlos Eduardo Gouvêa, salientou que não é pretensão do Instituto discutir aspectos pedagógicos das grades curriculares, mas ofereceu à representante da universidade, além da discussão com graduandos, uma outra sugestão para formação de uma consciência de cidadania: “Logo no início de cada curso, seria importante discutir problemas comuns, como o desafio da elaboração de trabalhos as armadilhas dos plágios via internet e outros desvios, desde furar fila, estacionar em vaga privativa ou comprar CD’s piratas”.

O diretor Técnico do Instituto, Sérgio Madeira, conta que “nos próximos dias, a professora Anita fará um convite pra que o IES apresente suas propostas para o Grupo Interdepartamental de Bioética da UNIFESP, do qual participam representantes de vários cursos de graduação da área de saúde e, a partir daí, será possível explorar o tema nos vários estágios da vida universitária”.