Instituto Ética Saúde é apresentado como exemplo de experiência bem sucedida de autorregulação em Seminário para o setor de Infraestrutura

11/10/2019
Participaram do evento ministros de Estado e grandes nomes do Setor de Infraestrutura dos governos Federal e Estaduais, bem como da iniciativa privada
 

O case de sucesso do Instituto Ética Saúde foi mais uma vez referenciado em Brasília. Durante o Seminário “Integridade e Transparência no Setor de Infraestrutura e a Autorregulação: uma Estratégia para o Fortalecimento e a Recuperação do Mercado Brasileiro”, no dia 9 de outubro, o assessor de Relações Institucionais do IES, Carlos Eduardo Gouvêa, apresentou toda a trajetória da entidade, desde os primórdios da elaboração do Pacto Setorial entre ABRAIDI e Instituto Ethos, cujas discussões levaram à criação do Instituto com personalidade jurídica própria, já com o escopo ampliado para toda a cadeia de valor de saúde. 
O evento foi promovido pela Associação Brasileira dos Sindicatos e Associações de Classe de Infraestrutura (Brasinfra) e marcou o lançamento do Instituto Brasileiro de Autorregulação, Ética e Integridade no setor de Infraestrutura (Ibric).
Carlos Eduardo Gouvêa destacou o sistema de governança do Instituto Ética Saúde, baseado em um Conselho Consultivo composto por todo o setor (entidades representativas da indústria, distribuição, hospitais, laboratórios, sociedades médicas e de profissionais de saúde e de operadoras de saúde, dentre outros), que dita as diretrizes a serem seguidas; por um Conselho de Ética composto por pessoas de destaque e sem vínculo com o segmento; e, finalmente, por um Conselho de Administração eleito dentre seus mais de 240 associados. “Os avanços obtidos nesta jornada foram inspiradores para a nova entidade que foi lançada durante o evento, voltada para o setor de Infraestrutura”, destacou o representante do IES. 
 
O Evento
 
Participaram do evento vários ministros de Estado, dentre eles o da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o da Controladoria Geral da União, Wagner Rosário, e do Tribunal de Contas da União (TCU), José Mucio Monteiro, além dos grandes nomes do Setor de Infraestrutura dos Governos Federal e Estaduais, bem como da iniciativa privada. 
Foi apresentado um quadro bem claro da importância da retomada dos investimentos em construção civil e grandes obras, não apenas por uma questão de manutenção mínima das estruturas viárias e de infraestrutura em diversas áreas (estradas, meio ambiente, aeroportos), mas também como formas de alavancar a economia, em virtude dos investimentos a serem feitos, tanto pelo Estado como por investidores estrangeiros. 
O Painel “Retomada de Investimentos no Setor de Infraestrutura” contou com apresentações do Programa de Parcerias de Investimentos da Casa Civil, da Secretaria de Desenvolvimento da Infraestrutura do Ministério da Economia, mostrando não apenas as grandes oportunidades que o país oferece, mas o apoio que o governo pode dar para empresas íntegras e que estejam comprometidas com as ações esperadas dentro deste novo contexto prometido pelo Ibric. 
E, para reforçar que as oportunidades de retomada para um setor muito afetado pela crise moral e financeira existente, o painel “Oportunidades e benefícios da autorregulação e cultura de integridade sob a perspectiva empresarial” mostrou que é necessário coragem para reconhecer os erros, mapear os problemas e buscar formas de mitigá-los, dentro de total transparência e com ações concretas em programas de integridade a serem adotados pelas empresas do setor. A coordenadora do FGVethics, Ligia Maura Costa, o presidente do Instituto Ethos, Caio Magri, e o representante do  IFC (Internacional Finance Corporation) – membro do Grupo Banco Mundial, Diogo Bardal, passaram uma mensagem positiva e de otimismo.

Galeria de Fotos