Artigo: Boas Práticas de Teletrabalho

05/05/2020

Ação IES | Covid-19

Política especial para o teletrabalho, por Antonio Fonseca, Subprocurador Geral da República e membro do Conselho de Ética do IES

 


Introdução
 
O trabalho remoto ou teletrabalho é uma tendência moderna que requer disciplina. Algumas vantagens vão desde poupar tempo no deslocamento da casa para o trabalho, melhorar a alimentação, até ganhar qualidade de vida. Não é impossível administrar bem o tempo e produzir com qualidade. Isso depende de treinamento, força de vontade, diretrizes claras e propósito. 
 
O trabalho remoto é uma das mudanças que o trabalhador do Século XXI terá pela frente. No processo de mudança, você escolhe: ser agente da transformação ou ser conduzido pelos agentes transformadores.
 
A epidemia da Covid-19 está aí. Essa doença é causada pelo novo coronavírus; a sua disseminação avança mundo afora. A crise sanitária e econômica ganha dimensão global. A recomendação geral é o distanciamento entre as pessoas; e trabalhar em casa é a única opção para a grande maioria dos trabalhadores. Algumas diretrizes são necessárias para assistir a força de trabalho a se preparar para as mudanças futuras.
 
 
O que é teletrabalho?
 
A prestação de serviços preponderantemente fora das dependências do empregador, com a utilização de tecnologias de informação e de comunicação que, por sua natureza, não se constituam como trabalho externo. (CLT, Art. 75-B). O teletrabalho também é chamado de home office.
 
Seguem 12 diretrizes que organizamos como código de boas práticas de trabalho remoto. A grande maioria é do conhecimento geral. Podem ser ampliadas ou reduzidas de acordo com a maturidade do sistema de integridade e compliance. 
 
 
Política especial para o teletrabalho
 
1. Um ambiente de trabalho para seu escritório
 
Escolha o seu espaço, onde possa trabalhar em paz, um local onde as pessoas de casa não possam incomodar, que a sua privacidade seja respeitada.  Deve ser o seu território, o seu home office, bem iluminado, com as suas ferramentas de trabalho, de preferência afastado dos movimentos da casa, com a sinalização de que ali é o seu escritório. Os familiares não podem ter dúvidas que você está trabalhando. Você poderá usar uma plaquinha de “não perturbe”.
 
A infraestrutura do ambiente deve facilitar também a comunicação. Conforme o tipo do trabalho, isso inclui a produção de vídeos ou lives como parte da função do profissional.
 
Reserve um mobiliário ergonômico, que facilite a postura adequada. Resista à tentação de trabalhar no sofá ou na cama. A tela do seu computar à altura dos olhos é recomendado. Use traje confortável e adequado. Não esqueça de manter a sua garrafinha de água ao seu alcance. Tudo isso ajuda no seu bem-estar.
 
 
2. Quem trabalha em casa não está sempre disponível
 
Certas pessoas próximas, fora de casa, devem saber que você está em home office e por isso não pode atende-las a qualquer momento. Marque horário para aqueles contatos indispensáveis. Organize uma agenda de compromissos. Recomenda-se não programar atividades pessoais no horário reservado ao trabalho. 
 
 
3. Uma tarefa de cada vez, sem distrações
 
É necessário organizar as atividades. Não ceda às distrações, busque eliminar as interferências externas. Tv, cama, sofá, geladeira... A disciplina manda desconectar-se desses itens. Distrações às vezes ocorrem; não se cobre, corrija-se. 
 
Checar e-mails e retornar ligações devem ser feitos em momento reservado para esse fim. 
 
 
4. A rotina de cada dia
 
Existe hora para acordar, se exercitar, se alimentar, descansar, parar e ir para a cama. Não deixe de fazer os afazeres diários. Prepare-se para ir ao trabalho com dignidade. Os cuidados com a saúde bucal, a barba, com o cabelo, a roupa e o calçado adequado não devem ser relaxados. Esses cuidados ajudam a manter a motivação e o desempenho. 
 
Manter a rotina é necessário para que o corpo e a mente se acostumem com os eventos diários e funcionem da melhor maneira. Pausas estratégicas para dar atenção ao pet ou ao filho podem recarregar as energias, desde que limitadas para não afetar a produtividade.
 
 
5. Ter senso de urgência e objetividade fazem parte da estratégia
 
Conduza estrategicamente a realização das tarefas. Existem tarefas urgentes e outras que podem esperar mais tempo para serem concluídas. Faça o melhor uso do tempo, com foco e objetividade.
 
Aquelas tarefas imprevisíveis também precisam ser parte da atenção.
 
As tarefas devem ser realizadas com qualidade e dentro do prazo; ninguém precisa cobrar.
 
 
 
6. Conhecer-se para produzir mais, eis a questão
 
Umas pessoas produzem mais na parte da manhã; outras pessoas têm mais disposição na parte da tarde. 
 
Procure se aprofundar naquelas tarefas mais complexas nas horas do dia de mais disposição.  
 
 
7. Toda jornada de trabalho tem um fim
 
Não esqueça que a jornada de trabalho tem um começo e um fim, respeite-a.
 
É certo que todo executivo, todo coordenador ou chefe de equipe controla ou cumpre rotinas-chave, elementos de atenção dos quais não se pode descuidar... mantê-los é preciso. 
 
O trabalhador não deve se matar de trabalhar só porque está em casa. Assim, conseguirá apreciar uma noite bem dormida. Mais importante do que o cumprimento da jornada é a produtividade e o cumprimento de metas.
 
 
8. Trabalhar em casa não é isolamento
 
É importante estar ligado àqueles colegas com quem o seu trabalho diz respeito, com quem vale a pena trocar experiências.
 
Reserve um tempo ou dias na semana para ligar para o chefe, coordenador ou líder para despachar ou pedir orientação para o melhor desenvolvimento de alguma tarefa, fazer sugestões ou pedir conselhos. Faça isso sistematicamente.
 
Avise quando tiver que se ausentar. Isso pode ficar registrado em plataforma de comunicação remota. 
 
 
9. Tempo, trabalho e crianças: cada um com a sua experiência
 
Faça um pacto para que todos da casa entendam o que é trabalho e o que é lazer. É importante respeitar isso para que quem trabalha possa se dedicar e dar o melhor de si; e no lazer todos possam planejar e desfrutar do prazer de estarem juntos.
 
Reserve um tempo para a sua família e outras pessoas de casa. Sabe-se que o maior desafio é para a mulher mãe e trabalhadora. Dividir as tarefas com o pai nunca foi tão básico; crucial para a mãe solteira. Respeitar o seu trabalho é preciso. Ainda que seja um desafio cumprir o pacto, é importante abraçá-lo como aprendizado, de preferência com o empregador.
 
 
10. Direitos e obrigações relativas ao teletrabalho
 
Empregador e empregado devem assinar termo em que são definidas as responsabilidades de cada um. 
 
Cabe ao empregador estabelecer e ao empregado seguir as instruções sobre o assunto. Essas instruções devem constar expressamente de contrato individual de trabalho ou, de preferência, ser definidas em convenção coletiva. 
 
São exemplos de itens que devem ser incluídos: as atividades a serem realizadas e as metas a serem cumpridas; a quem cabe a aquisição, manutenção ou fornecimento de equipamentos necessários à adequada prestação do trabalho remoto; as precauções que o empregado deve tomar a fim de evitar doenças e acidentes. O trabalhador não pode delegar a pessoas estranhas as atividades do seu cargo, tampouco praticar o comércio, ainda que em casa em teletrabalho.
 
No caso de servidor público, essas instruções devem constar de ato próprio da autoridade.
 
 
11. Os riscos de compliance no teletrabalho que deverão ser mitigados
 
Sequestro de dados valiosos poderão acontecer durante a realização do serviço.
 
Atendimento suspeito na própria casa poderá ser propiciado com prejuízo à imagem ou reputação da empresa.
O trabalho remoto poderá ensejar, ainda, contatos indevidos; pagamento e recebimento de vantagens relacionadas ao serviço. 
 
Aplicam-se, no que couber, a todo trabalhador em trabalho remoto os mesmos deveres de compliance devidos pelos trabalhadores atuando in company. Esses deveres – bem como todos os pilares do sistema – devem ser, sempre que possível, revistos ou reforçados em tempo de crise.
 
 
12. As precauções com a Covid-19 e afins devem ser observadas no teletrabalho
 
O trabalhador deve combinar com o chefe, ou outra autoridade, as precauções a serem seguidas.
 
As precauções e as recomendações das autoridades devem estar em conformidade.
 
A intensidade do teletrabalho por grande número de trabalhadores, numa cidade ou região, poderá virar um pesadelo com ataques de hackers; cuidados adicionais devem ser observados em benefício da segurança e produtividade do serviço. Destaquem-se, por exemplo, não entrar em sites não profissionais durante o trabalho, usar aparelhos diferentes para navegação profissional e pessoal, fazer backups frequentes, atualizar programas antivírus, etc. 
Limpeza e higienização dos equipamentos de trabalho também devem ser feitas com alguma frequência.
 
Recomenda-se informar claramente ao trabalhador quem deve ser acionado em casos de emergência e comunicar horários e contatos para as providências devidas.
 
A empresa deve destacar um gestor ou, se for o caso, um time para atuar como facilitador e suporte em tempo de crise.
 
 
Conclusão
 
O aprendizado das lições da quarentena e as práticas de trabalho à distância, se bem aplicadas, assegurarão bons resultados na relação do homem não somente com o trabalho, mas também com a cidade, a família, o consumo e consigo mesmo. Eis a melhor expectativa da crise.
 
 

 

Galeria de Fotos