Autorregulação é tema central de reuniões regionais

24/10/2022

Encontros voltam à agenda do IES após a pandemia. Atividades e projetos mais importantes foram apresentados


O Instituto Ética Saúde realizou uma série de reuniões com os associados do Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste, entre os dias 18 e 21 de outubro, para apresentar as atividades realizadas no último ano e empoderar as empresas como colaboradoras efetivas na implementação da autorregulação no setor da saúde. “O associado é multiplicador das nossas ações e nossos propósitos”, afirmou o diretor executivo, Filipe Venturini Signorelli. 
 
O presidente do Conselho de Administração, Eduardo Winston Silva, fez a abertura dos encontros e reforçou que a atual gestão, reeleita para um segundo biênio, “chegou no momento de planejar e executar ações que tenham impactos práticos relativos aos nossos objetivos. Este é o papel do corpo executivo, bem como motivo pelo qual a diretoria contratou o Filipe Venturini Signorelli para reforçar e liderar o time”. 
 
Signorelli mostrou os projetos e atividades de 2022, destacando o trabalho mais regionalizado do Instituto. “Já propusemos um Acordo de Cooperação Técnica com a Controladoria-Geral do Estado do Rio de Janeiro e faremos o mesmo em outros estados. Vamos descentralizar e assim estar mais perto dos associados”. Explicou também a criação de dois novos Grupos de Trabalho: Autorregulação e Voluntários. “A autorregulação é de fato um controle social e a participação das empresas e associações é fundamental”, definiu. 
 
Explicou o que é a autorregulação, suas vantagens potenciais, e como o IES vai atuar. “Vamos criar núcleos temáticos de acordo com as atividades afins e formação de núcleos para atividades comuns a todo setor; um grupo revisor das Instruções Normativas existentes; promover ações conjuntas com órgãos reguladores; e propor projetos de lei com regulação e/ou alteração da normativa”, disse o diretor executivo.
 
A Certidão Eletrônica também foi destaque. “Ela é a informatização de um documento que já existia: a declaração de filiação. Traz agilidade, profundidade, informações mais precisas e, consequentemente, integridade para o setor porque o cliente e fornecedor podem checar em tempo real o documento, que demonstra o comprometimento dos associados com a divulgação de seu comportamento ético.”, salientou o assessor de compliance do IES, Marlon Franco.
 
Eduardo Winston Silva encerrou as reuniões com um chamamento. “Sugiram ações que tragam mudanças e melhorias efetivas. Nenhuma ação isolada vai mudar o mundo, mas a participação de cada um de vocês – comentando, fazendo divulgações, perseguindo práticas transparentes – é válida para promover um ambiente mais ético e tem prioridade”. 
 

Galeria de Fotos