Pela primeira vez, o Ética Saúde é apresentado à classe médica

19/11/2015
O Ética Saúde - Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos, lançado por iniciativa da ABRAIDI e do Instituto Ethos, em junho passado, foi apresentado durante o 47° Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia. O evento foi em São Paulo, no Expo Center Norte, entre os dias 19 a 21 de novembro, e reuniu seis mil ortopedistas do país inteiro.
 

A mesa de debate que teve como tema o Compliance foi coordenada pelo diretor de Defesa Profissional da SBOT - Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, Carlos Alfredo Lobo Jasmin, também o primeiro a falar. A diretora-executiva da ABRAIDI - Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes, Claudia Scarpim, fez o uso da palavra em seguida e detalhou o funcionamento do Ética Saúde e a busca do setor por mais transparência nos negócios. Falaram na sequência, a advogada da SBOT, Adriana Joubert, e o representante do CFM - Conselho Federal de Medicina, em São Paulo, Jorge Curi. Todos participaram de um amplo debate ao final das palestras. O diretor de Defesa Profissional da SBOT ressaltou que o Compliance no setor é um caminho sem volta e a diretora-executiva da ABRAIDI defendeu que é preciso que se reveja o modelo de remuneração. "A lógica de toda a cadeia é perversa, já que quanto mais um hospital ou um médico usam materiais, mais eles ganham, por exemplo". Claudia Scarpim lembrou do funcionamento do Canal de Denúncias do Ética Saúde e informou que já existem 170 denúncias sendo apuradas, onde 70% delas são entre empresas e profissionais de saúde e os outros 30% entre hospitais e empresas. "Precisamos prevenir e controlar todas as formas de suborno e corrupção", defendeu. O contato com o Canal de Denúncias é o próprio site do Ética Saúde (www.eticasaude.com.br) ou pelo 0800-741-0015. A diretora-executiva da ABRAIDI completou afirmando que, atualmente, o Ética Saúde tem 270 empresas que optaram voluntariamente para seguir o caminho da transparência. "Elas se tornaram signatárias porque quiserem, ninguém obrigou. Por isso está funcionando tão bem, já que é um movimento voluntário do setor", esclareceu. Generic placeholder image Mais informações para a imprensa: DOC Press (11) 5533-8781

Galeria de Fotos